AMBIENTE CORROSIVO: análise da deposição de cloreto e perspectiva de vida útil das estruturas de concreto armado em Aracaju/Se/Br

A corrosão de armaduras, manifestação patológica crescente no Brasil, está diretamente associada à durabilidade de estruturas de concreto, e a difusão de cloretos é reconhecida como um dos fatores de maior relevância no desencadeamento do processo corrosivo. Como o Brasil possui uma extensa faixa litorânea, cerca de 7.367 km de litoral, e os cloretos em sua maioria, são provenientes de águas marinhas, as estruturas próximas a região de mar são fortemente atacadas pelos íons cloreto. O ataque desses íons em estruturas de concreto armado tem sido foco de muitas pesquisas, devido ao aumento dos casos de degradações com a consequente redução da vida útil, diante das manifestações patológicas ocasionadas, nas edificações. Sendo assim, com o intuito de auxiliar os projetistas, construtoras e órgãos ligados a construção civil na execução de empreendimentos duráveis, a presente pesquisa objetivou determinar concentrações de íons cloreto e fatores influentes em determinadas regiões da atmosfera urbana da cidade de Aracaju/SE/BR. E a partir dos resultados, estimar a vida útil das estruturas de concreto armado, que apesar de atenderem aos parâmetros da ABNT NBR 6118:2014, estruturas na zona de atmosfera marinha não atingirão a vida útil mínima de projeto determinada pela ABNT NBR 15575:2013, a Norma de Desempenho.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.