INFLUÊNCIA DE ADIÇÕES DE GRAFITE, ÓXIDO DE GRAFITE E GRAFITE-LIKE EM ARGAMASSAS DE CIMENTO PORTLAND

CATEGORIA: TESE

AUTORA: MICHELLA GRAZIELA SANTOS MENDONÇA

DATA: 2019 – UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE – PRÓ-REITORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA

PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIA E ENGENHARIA DE MATERIAIS (P2CEM)

INFLUÊNCIA DE ADIÇÕES DE GRAFITE, ÓXIDO DE GRAFITE E GRAFITE-LIKE EM ARGAMASSAS DE CIMENTO PORTLAND: DURABILIDADE, PROPRIEDADES MECÂNICAS E RESISTIVIDADE ELÉTRICA

A incorporação de nanotubos de carbono, grafenos e óxidos de grafenos em matrizes de cimento têm sido extensivamente estudada devido à capacidade desses materiais de adicionar propriedades condutoras e simultaneamente desempenharem função de reforço. No entanto, o alto custo desses materiais para aplicações em larga escala desencadeou recentemente a busca por materiais de baixo custo com propriedades semelhantes. Nesse contexto, o primeiro estudo desta tese investigou as propriedades de resistividade elétrica, de resistência mecânica e de durabilidade para argamassas com adições de grafite, óxido de grafite e grafite-like, como materiais alternativos de baixo custo. Os resultados mostraram que a adição de grafite apresentou comprometimento progressivo da resistência à compressão e exibiu variação não significativa na resistência à flexão. Por outro lado, a adição de óxido de grafite não comprometeu a resistência à compressão e exibiu ganhos na resistência à flexão. A resistividade elétrica das argamassas foi encontrada na seguinte ordem crescente: grafite-like, grafite e óxido de grafite. Em outro contexto, o uso da fibra de carbono nos últimos anos tem aumentado substancialmente, com isso obtém-se maior volume de resíduos de fibras de carbono resultante das perdas. Nesse seguimento, o segundo estudo desta tese investigou o uso de resíduos de fibras de carbono em argamassas de cimento e pó de coco, bem como o efeito da moagem no processo de produção. As propriedades físicas, mecânicas e de durabilidade foram avaliadas. A utilização do processo de moagem resultou em ganhos de 87% na resistência à compressão. A adição das fibras de carbono resultou em ganhos de até 192% na resistência à flexão. Os resultados de durabilidade exibiram estabilidade na propriedade mecânica de flexão ao longo do tempo para as argamassas com fibras de carbono.

TESE COMPLETA:

https://www.dropbox.com/s/hsgi8tiestelq9j/MICHELLA_GRAZIELA_SANTOS_MENDONCA%20ASEC.pdf?dl=0

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.