Avaliação preliminar da evolução da corrosão de armaduras em estruturas de concreto armado

En este artículo se presenta un programa para computadora llamado EECC (Evaluación de Estructuras de Concreto por Corrosión), que implementa el método simplificado para la evaluación de la corrosión en las armaduras de los elementos de concreto reforzado. Básicamente, el método simplificado se basa en la valoración de dos parámetros: la agresividad ambiental a la que está sometido el elemento de concreto reforzado y el nivel de daños actuales que presenta el elemento estructural. El primer aspecto representa los daños actuales de la estructura y el segundo parámetro es representativo de la sensibilidad del
elemento estructural a la corrosión. Estos dos aspectos se cuantifican por medio de dos índices: el índice de corrosión y el índice estructural. Con ellos se obtiene un índice de daño estructural que define entonces el grado de daño y la urgencia de la intervención. El índice de corrosión (IC) se basa en indicadores de daño ponderados en niveles del 1 al 4 y también en la graduación de la agresividad ambiental en términos de ambientes de exposición. El índice estructural (IE) es un factor empírico que valora la sensibilidad del elemento a la corrosión y el efecto de la corrosión de las armaduras en su capacidad portante. Su estimación se basa en la valoración de los detalles del armado del elemento, el grado de hiperasticidad de la estructura y el nivel de solicitación del elemento respecto a su capacidad resistente. Nace el proyecto a raíz de mi participación en las Jornadas Iberoamericanas sobre predicción de la vida útil de las estructuras de concreto, celebradas en Santa Cruz, Bolivia, en junio del 2006, las cuales fueron patrocinadas por la Agencia Española de Cooperación Internacional. Debe quedar claro que el programa es una implementación de una metodología que no es propiedad del autor y que los créditos más bien corresponden a los integrantes de la Red Iberoamericana DURAR.

Leia o artigo completo

Avaliação preliminar da evolução corrosão de armaduras em estruturas de concreto armado

En este artículo se presenta un programa para computadora llamado EECC (Evaluación de Estructuras de Concreto por Corrosión), que implementa el método simplificado para la evaluación de la corrosión en las armaduras de los elementos de concreto reforzado. Básicamente, el método simplificado se basa en la valoración de dos parámetros: la agresividad ambiental a la que está sometido el elemento de concreto reforzado y el nivel de daños actuales que presenta el elemento estructural. El primer aspecto representa los daños actuales de la estructura y el segundo parámetro es representativo de la sensibilidad del
elemento estructural a la corrosión. Estos dos aspectos se cuantifican por medio de dos índices: el índice de corrosión y el índice estructural. Con ellos se obtiene un índice de daño estructural que define entonces el grado de daño y la urgencia de la intervención. El índice de corrosión (IC) se basa en indicadores de daño ponderados en niveles del 1 al 4 y también en la graduación de la agresividad ambiental en términos de ambientes de exposición. El índice estructural (IE) es un factor empírico que valora la sensibilidad del elemento a la corrosión y el efecto de la corrosión de las armaduras en su capacidad portante. Su estimación se basa en la valoración de los detalles del armado del elemento, el grado de hiperasticidad de la estructura y el nivel de solicitación del elemento respecto a su capacidad resistente. Nace el proyecto a raíz de mi participación en las Jornadas Iberoamericanas sobre predicción de la vida útil de las estructuras de concreto, celebradas en Santa Cruz, Bolivia, en junio del 2006, las cuales fueron patrocinadas por la Agencia Española de Cooperación Internacional. Debe quedar claro que el programa es una implementación de una metodología que no es propiedad del autor y que los créditos más bien corresponden a los integrantes de la Red Iberoamericana DURAR.

 

Durabilidade das estruturas de concreto armado

Com a publicação das normas NBR 6118:2003 e NBR 14931:2003, espera-se que ações concernentes à durabilidade das estruturas sejam implementadas desde a elaboração do projeto até a fase de uso e manutenção das instalações. O estado de degradação atual das edificações atesta o quanto é necessário um enfoque mais incisivo sobre esta propriedade. O presente trabalho tem como objetivo analisar como a aquisição do concreto é feita junto aos fornecedores, além de propor melhorias que podem ser implementadas nesta fase, decorrentes das recentes recomendações prescritas em normas brasileiras. Em função disto, encontram-se descritos os requisitos a ser atendidos pelos projetistas, quando da especificação do concreto, bem como os cuidados relacionados às etapas de produção deste material, por parte do construtor. Adicionalmente, foram identificadas as principais patologias nas estruturas de concreto das edificações situadas em Salvador, com as suas prováveis causas e freqüências, além de associá-las às fases do processo construtivo e aos locais de implantação de obras. Em função de a durabilidade depender das camadas superficiais do concreto da estrutura, foram efetuados ensaios de penetração de água em corpos-de-prova, com a finalidade de averiguar a influência da consistência, relação água-cimento e consumo de cimento na permeabilidade do material. Com o propósito de identificar as áreas de Salvador expostas ou não à ação da névoa salina, é apresentado, como sugestão, um mapa que expressa a correlação entre as diferentes classes de agressividade ambiental e os bairros dessa capital.

Leia o artigo completo

Mapeamento de cloretos no ar atmosférico de Maceió/AL

A ação do cloreto nas estruturas de concreto em cidades litorâneas vem sendo foco de pesquisa dada sua importância no contexto da garantia de durabilidade. Tem sido estudado tanto os mecanismos de produção do íon cloreto, sua deposição sobre a superfície do concreto e consequentemente sua ação patológica. A partir daí, diversas normas indicam medidas de proteção a serem especificadas pelos projetistas, minimizando a percolação desse íon através da camada de cobrimento do concreto. Apesar da atual norma brasileira para projeto de estrutura em concreto5 indicar classes de agressividade ambiental às estruturas de concreto em região costeira, não correlaciona a nenhum teor ou taxa de deposição de cloreto, deixando clara a existência de uma lacuna normativa. Este trabalho se propõe a efetuar uma pesquisa bibliográfica quanto à produção do íon cloreto, seus mecanismos de transporte e deposição na superfície das estruturas de concreto; um estudo experimental de campo e laboratorial, captando o cloreto em pontos dispostos na cidade de Maceió, desde a orla até os tabuleiros6. Para quantificar o teor do íon utilizou-se o método de Mohr7. Observou-se um aumento nas taxas de deposição de cloreto em pontos situados à beira mar, e uma diminuída à medida que adentra ao continente, tendo sido detectado o cloreto além de 14 km da costa. Através desses resultados foi avaliada a perspectiva de vida útil das estruturas de concreto, face ao ataque por cloretos, para as estruturas situadas em cada ponto de coleta, utilizando-se diversas especificações normativas8. Os resultados mostram que obtem-se um significativo ganho de vida útil utilizando-se os critérios da norma americana para estruturas situadas na zona de respingo de maré, enquanto que a norma brasileira é a que apresenta menor projeção dessa vida útil em regiões marinhas.

Leia o artigo completo

Inspeções de estruturas de madeira com ends

Este artículo muestra los trabajos de inspección, diagnóstico y propuesta de intervención sobre la estructura de madera vista de la plaza Mayor de Chinchón (Madrid). Se emplearon técnicas de reconocimiento visual y otras de tipo no destructivo y pseudo-no destructivo como la microfotografía, xilohigrometría, medición de la velocidad de ultrasonidos, arranque de tornillos y resistografía. Los trabajos permitieron identificar la especie leñosa original, caracterizar la madera estructural, señalar los daños y lesiones de diverso tipo que presenta y, finalmente, realizar una peritación estructural. Todo ello sirvió de base para establecer una propuesta de intervención basada en los datos obtenidos y los principios generales internacionalmente reconocidos, aplicados al caso particular. Aunque el estado general de la madera es relativamente bueno gracias a actuaciones realizadas anteriormente, se propusieron sugerencias de intervención constructiva y tratamientos contra daños bióticos y abióticos. Ha sido realizado por el Grupo de Investigación en Estructuras y Tecnología de la Madera de la Universidad de Valladolid (http://www.uva.es/maderas), que está integrado por profesionales e investigadores multidisciplinares, con experiencia en los campos de la construcción y restauración arquitectónica y la tecnología de la madera.

Leia o artigo completo

Avaliação da difusividade de cloretos em estruturas de concreto

Steel corrosion is one of the main causes of damage in reinforced concrete structures. Recent studies carried out in Argentina indicate that the percentage of damage in concrete structures induced by corrosion of reinforcement is 16%. In structures located in marine environments the corrosion is due fundamentally to the action of chlorides. Chlorides penetrate concrete by different processes; in structures exposed to atmosphere, the ingress process is by diffusion. Ingress depends on the characteristics of concrete and of its distance to the sea (marine environment). In this paper, assessment of durability of concrete structures exposed to marine (Atlantic Ocean coast) environments is reported. The ages of the evaluated structures, bridges and buildings, vary between five and 67 years. Surface chlorides concentration (environmental loads) and the effective diffusion coefficient, calculated using Fick’s second law, are included. Furthermore, the quality of the cover concrete is characterised by means of the specific gravity and porosity accessible to water methods.

Leia o artigo completo

Mapeamento de cloretos no ar atmosférico de Fortaleza/Ceará

Usualmente as estruturas localizadas em ambientes de atmosfera marinha, em comparação com outras construídas em localidades mais distantes do mar, deterioram-se mais rapidamente devido à grande influência de íons cloreto, os quais, em conjunto com as características climatológicas, podem vir a causar corrosão de armaduras e danos irreversíveis a uma estrutura de concreto armado. Este trabalho tem o objetivo de avaliar o teor da deposição de íons cloreto na Praia do Futuro, em Fortaleza-CE, em relação à distância ao mar, empregando o método da vela úmida e a análise das características climatológicas do ambiente. Como resultados, observou-se um decréscimo do teor de íons cloreto à medida que vai se distanciando do mar, situação influenciada pela precipitação e pelo vento da região. Conclui-se que a deposição de cloretos segue uma função exponencial e que, nos primeiros 100 metros, o teor de íons cloreto é bastante alto (484,35 mg/m².d), diminuindo gradualmente até os 500 metros, distância na qual a concentração vai decaindo mais suavemente. Além disso, em comparativo com outras capitais brasileiras, verificou-se que Fortaleza é a mais agressiva em relação ao teor de íons cloreto presentes no ar atmosférico.

Leia o artigo completo

Inspeção de estruturas de concreto armado em ambientes agressivos

A durabilidade do concreto é um tema em evidência na construção civil, este conceito está relacionado diretamente a exposição da estrutura aos agentes agressivos do meio ambiente. O ambiente marinho é fortemente agressivo ao concreto, principalmente pelo ataque dos íons cloreto, que agridem a camada passivante responsável pela proteção das armaduras. O ambiente urbano mostra-se igualmente agressivo, o ingresso do dióxido de carbono (CO2) concorre para a formação do carbonato de cálcio, diminuindo o pH do concreto e despassivando as armaduras. Os dois tipos de ambiente abrem caminho para despassivação das armaduras do concreto, e consequentemente para o processo de corrosão das armaduras, responsável por diminuir a durabilidade das obras e consumir boa parte dos recursos empregados na recuperação de estruturas. O presente trabalho pretendeu analisar e identificar as principais manifestações patológicas dos pilares do Armazém 6 construído em 1984 e localizado no Porto do Recife. Para realização deste diagnóstico foram realizados inspeção preliminar, ensaios de campo: avaliação da dureza superficial, profundidade de carbonatação e aspersão de solução de nitrato de prata; e de laboratório: teor de cloretos em relação à massa do concreto. Para tanto a edificação foi subdividida em fachadas, com vistas a identificar se as diferentes condições de exposição eram relevantes no que concerne a durabilidade. Os resultados apontam para diferenças consideráveis de estado de conservação entre as fachadas e ainda, indicam que a existência de qualquer anteparo que proteja a estrutura é relevante no aumento da sua vida útil. O estudo propõe tal qual existe em normas internacionais, que as normas brasileiras definam critérios específicos de durabilidade para estruturas envoltas em zonas de atmosfera marinha.

Leia o artigo completo

Inspeção de estruturas de concreto armado

A resistência à compressão é a propriedade do concreto adotada por ocasião do dimensionamento da estrutura. Portanto, está diretamente ligada à segurança e estabilidade estrutural. HELENE [1]. Além da resistência a compressão, a resistência mecânica e índice de vazios nos concretos são também propriedades fundamentais para o desempenho pleno na vida útil e durabilidade das estruturas. Segundo EVANGELISTA [2], comumente são feitos ensaios de resistência à compressão aos 28 (vinte e oito) dias em corpos-de-prova cilíndricos para verificar se o concreto está coerente com o especificado em projeto. Esses cilindros são retirados do mesmo concreto, ainda no estado fresco, e moldados no local da construção. São encaminhados para laboratório especializado em ensaios de resistência à compressão e outras propriedades. Porém, caso haja a necessidade de analisar a situação em obra acabada, a retirada dos corpos-de-prova provoca danos ao componente requerendo reparos localizados na estrutura. Tem-se verificado uma vasta aplicação dos ensaios in sito em diversos países, assim como um grande número de pesquisas nessa área, visando a obtenção de resultados mais confiáveis nas investigações das propriedades do concreto das estruturas [2]. Logo, existindo a possibilidade de se analisar a resistência mecânica e a qualidade de produção do concreto por meio de ensaios não destrutivos (ENDs), fomentar-se-iam ganhos financeiros e técnicos, em tempo e praticidade, tendo em vista que não haveria a necessidade de realizar reparos e os ensaios poderiam simultaneamente monitorar essas características durante e/ou logo após a sua execução.

Leia o artigo completo